Muito mais do que fé e adoração: o papel político-social da Igreja Católica na Baixada Fluminense-RJ

Palavras-chave: Palavras chave: Baixada Fluminense. Igreja Católica. Teologia da Libertação. Violência. Resistência

Resumo

O presente trabalho pretende abordar as ações da Igreja Católica na Baixada Fluminense, região metropolitana do Rio de Janeiro a partir da década de 1970. Esse território periférico carrega as dramáticas situações de outras periferias pelo Brasil, como violência urbana e deficiências de serviços públicos. Sendo assim, essa ausência é, de certa forma, amenizada com ações de outras instituições que fazem o papel dos entes públicos. Aqui usarei como laboratório a diocese de Nova Iguaçu e a paróquia São Simão, que são notáveis exemplos dessas ações que diminuem a grave situação de precariedade que a população enfrenta. Destaca-se o empenho de dois religiosos, o bispo D. Adriano Hypólito e o Padre Bruno, com dedicação, militância e defesa dos direitos humanos.

Referências

ALVES, José Cláudio Souza. Violência e política na Baixada: o caso dos grupos de extermínio. Impunidade na Baixada Fluminense, 2005.
BOFF, Leonardo. Igreja: carisma e poder. Petrópolis. Ed: Vozes, 1982.
BRUM, Mario Sergio Ignácio. Opção pelos Pobres: A Pastoral de Favelas e a reorganização do movimento de favelas no Rio de Janeiro na Redemocratização. Revista Estudos Históricos, v. 31, n. 65, p. 413-432, 2018.
CENTRO DE MEMÓRIA RAIZES DO AMAPÁ. Disponível em: http://raizesdoamapa.blogspot.com/2011/07/chacina-do-bairro-amapa.html. Acesso em: 20 out. 2020.
CIGOLINI, A.; CACHATORI, Thiago Luiz. Análise do processo de criação de Municípios no Brasil. Colóquio Internacional de Geocrítica, v. 12, 2012.
FREIRE, Leticia de Luna, GONÇALVES, Rafael Soares, SIMÕES, Soraya Silveira. Uma Cruzada do século XX: iniciativas católicas no campo das políticas habitacionais na França e no Brasil. Antropolítica: Revista Contemporânea de Antropologia, n. 29. p. 201-223, 2010.
GUTIÉRREZ, Gustavo. A força histórica dos pobres. Petrópolis: Editora Vozes, 1975.
LINS. Marina N. Vinte e cinco anos após chacina que matou família inteira, três irmãs assassinadas permanecem mártires. Jornal Extra. 06 mai. 2013. Disponível em: https://extra.globo.com/noticias/rio/baixada-fluminense/vinte-cinco-anos-apos-chacina-que-matou-familia-inteira-tres-irmas-assassinadas-permanecem-martires-8306688.html
MAINWARING, Scot. A Igreja católica e a política no Brasil, 1916-1985. São Paulo: Editora Brasiliense, 1989.
MONDIN, B. Os teólogos da libertação. São Paulo: Paulinas, 1980.
POLLAK, Michael. Memória e identidade social. In: Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 5, nº 10, 1992.
SANTOS, José Vicente Tavares dos. Violências e conflitualidades. Porto Alegre: Tomo Editorial, 2009.
SOTENOS, Abner Francisco. A igreja vigiada: a visão da comunidade de informações sobre a atuação político-religiosa do bispo d. Adriano Hipólito 1974-1985. XV Encontro Regional de História - ANPUH-Rio 2012.
SOUSA, Josinaldo Aleixo de. Sociabilidades emergentes, implicações de dominação de Matadores na periferia e traficantes nas favelas. Dissertação (Doutorado em Sociologia e Antropologia) - Instituto de Filosofia e Ciências Sociais, universidade Federal do Rio de Janeiro . Rio de Janeiro 2001.
VEIGA, Alfredo César da. Teologia da Libertação: Nascimento, expansão, recuo e sobrevivência da imagem do excluído dos anos 1970 à época atual. São Paulo, SP, 2009. Tese de Doutorado em História Social USP/ FFLCH. São Paulo, 2009.
ZALUAR, Alba; LEAL, Maria Cristina. Violência extra e intramuros. In: Revista Brasileira de Ciências Sociais, n. 16, 2000, p. 145-64.
Publicado
18-12-2020
Como Citar
Ribeiro Sales, M. (2020). Muito mais do que fé e adoração: o papel político-social da Igreja Católica na Baixada Fluminense-RJ . Educação Sem Distância - Revista Eletrônica Da Faculdade Unyleya, 1(2). Recuperado de https://educacaosemdistancia.unyleya.edu.br/esd/article/view/45
Seção
Artigos de pesquisa