MEDIAÇÕES EM REDES: REFLEXÕES PRELIMINARES SOBRE A ATUAÇÃO COM REFUGIADOS A PARTIR DAS IDEIAS DE BRUNO LATOUR

Palavras-chave: Refugiados. Antropologia. Produção de Conhecimento. Formação de Redes. Interdisciplinaridade.

Resumo

No presente artigo, descrevo o percurso realizado na constituição do projeto “Redes e Acolhimento aos Refugiados no Rio de Janeiro: Cidadania, Inclusão Social e Direitos Humanos”, encaminhado à Diretoria de Pesquisa, Extensão e Inovação do Centro Universitário Augusto Motta (UNISUAM), no início do ano de 2020. Inspirado na teoria Ator-Rede, formulada por Bruno Latour, evidencio as conexões estabelecidas, as controvérsias experenciadas e as escolhas institucionais, as quais nortearam a formulação da referida proposta extensionista. Por meio deste relato, procuro, de forma preliminar, refletir sobre as possíveis imbricações existentes entre os termos:  produção de conhecimento, atuação docente e práticas de pesquisa e intervenção com migrantes forçados.

Referências

ABU-LUGHOD, Lila. Veiled Sentiments: Honor and Poetry in a Bedouin Society. Berkeley: University of California Press, 1986.
AGIER, Michel. Distúrbios identitários em tempos globalizados. Rio de Janeiro. Revista Mana. v.7, n.2: 7-33, 2001.
AGIER, Michel. Refugiados diante da nova ordem mundial. Tempo Social, Revista de Sociologia da USP. v.18, n.2: 197-215, 2006.
ALTO COMISSIONADO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA REFUGIADO (ACNUR). Dados sobre o Refúgio no Brasil - Uma análise estatística (2010-2014). Link: https://www.acnur.org/fileadmin/Documentos/portugues/Estatisticas/Refugio_no_Brasil_2010_2014.pdf.
(ACNUR) Perfil Socioeconômico dos refugiados no Brasil. Link: https://www.acnur.org/portugues/wp-content/uploads/2019/07/Pesquisa-Perfil-Socioecon%C3%B4mico-Refugiados-ACNUR.pdf
_________Protegendo Refugiados no Brasil e no mundo 2019. link: https://www.acnur.org/portugues/wp-content/uploads/2019/02/CARTILHA-ACNUR2019.pdf
__________Relatório Tendência Globais, 2019. Link: https://www.acnur.org/portugues/dados-sobre-refugio/
BACHELAR, Gaston. O Novo Espírito Científico. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1968.
BASTOS, Júlia Pedroni B. & OBREGON, Marcelo Fernando Q. Venezuela em crise: o que mudou com Maduro? Derecho y Câmbio Social- Revista Jurídica. n.52, a.15, 27-49, 2018.
Link: https://www.derechoycambiosocial.com/revista052/VENEZUELA_EM_CRISE.pdf
BOBBIO, Norberto. Democracia. In: BOBBIO, Norberto; MATTEUCCI, Nicola; PASQUINO, Gianfranco. Dicionário de política. Editora Universidade de Brasília, Brasília, 1998, 319-329.
CANAL, Nathalia Urbano. Entre figurações e associações: as sociologias de Norbet Elias e Bruno Latour. Maringá.v.33, n.2: 139-148, 2011. link: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/ActaSciHumanSocSci/article/view/11771
CHRÉTIEN, Claude. A Ciência em Ação: Mitos e Limites. Campinas: Papirus, 1994
CLIFFORD, James. A experiência etnográfica: antropologia e literatura no século XX. Rio de Janeiro: Editora da UFRJ, 1998.
DEFENSORIA PÚBLICA DA UNIÃO. Relatório da Missão Amazonas. Brasília- DF, 2018. Link: https://www.unodc.org/documents/human-trafficking/GLO-ACT/BR_Missao_Manaus_-_Relatorio.pdf
DEFENSORIA PÚBLICA DA UNIÃO. Relatório da Missão Roraima.Brasília-DF,2018.Link:https://www.dpu.def.br/images/stories/pdf_noticias/2018/relatorio_missao_roraima.pdf
DE PAULA, Robson. A formação do Policial “Ungido”. Monografia de final de curso em Ciências Sociais. IFCH/UERJ, Rio de Janeiro, 2002.
_________________ Os cantores do Senhor: três trajetórias em um processo de industrialização da música evangélica no Brasil. Religião e Sociedade. v.27, n.2: 55-84, 2007.
___________________“Audiência do Espírito Santo”: música evangélica, indústria fonográfica e formação de celebridades no Brasil. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais/ UERH, Rio de Janeiro, 2008.
____________________ “Se Cristo comigo vai”: notas sobre a elaboração dos primeiros hinários evangélicos em uma cena musical indisciplinada – memória e identidade religiosa em questão. In. OLIVEIRA, P. C. & CARREIRA, S. S. G, (org). Memória e Identidade: ensaios. Rio de Janeiro: Edições Galo Branco, 2011.
___________________O mercado da música gospel no Brasil: aspectos organizacionais e estruturais. Revista UNIABEU. v. 5, n.9:141-157, 2012ª. Link: https://revista.uniabeu.edu.br/index.php/RU/article/view/370. ____________________A formação do nicho fonográfico gospel no Brasil: recorrências e singularidades, uma introdução ao debate. III CONGRESSO INTERNACIONAL DE ESTUDOS DAS AMÉRICAS. NUCLEAS. UERJ. Rio de Janeiro, 2012b. CD.
____________________Deslocamentos rítmicos e ressignificação de sentidos: a formação do funk gospel. In. OLIVERIA, P.; CARREIRA, S. S. G. (Org.). Diásporas e deslocamentos: travessias críticas. 1ed. Rio de Janeiro: FAPERJ-FGV, 2014.
______________________ “Sinta este fogo irmão”. Cosmologia pentecostal, noção de pessoa e “corinho de fogo”. Revista Tempo da Ciência. v. 23, n.45: 52-64, 2016. Link: http://e-revista.unioeste.br/index.php/tempodaciencia/issue/view/757/showToc
DE PAULA, Robson R. & MAFRA, Clara. O Espírito da Simplicidade: A cosmologia da Batalha Espiritual e as concepções de corpo e pessoa entre policiais pentecostais cariocas. Religião e Sociedade. v. 22, n.1:57-76, 2002.
DE PAULA, Luiz Fernando e PIRES, Manoel. Crise e perspectivas para a economia brasileira. Estudos Avançados. São Paulo, v. 31, n.89: 125-144, 2017.
GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.
GINZBURG, Carlo. Mitos, emblemas, sinais: morfologia e história. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.
MIGUEL, Luiz Felipe. A reemergência da direita brasileiro. In: GALLEGO, Esther Solano. O ódio como política: a reinvenção das direitas no Brasil. São Paulo: Boitempo, 2018.
MARCUS, George. Problemas de la etnografia contemporánea en el mundo moderno. Barcelona: Júcar, 1991.
MARCUS, George; CUSHMAN, Dick. Ethnographies as Texts. Annual Review of Anthropology, v.11, n.1:25-69, 1982.
MILESI, Rosita et. ali. Migração Venezuelana ao Brasil: discurso político e xenofobia no contexto atual. Aedos: Revista do Corpo Discente do PPG- História da UFRGS. v. 10, n. 22: 53-70, 2018.
LATOUR, Bruno. Jamais fomos modernos. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1994.
LATOUR, Bruno. Ciência em ação: como seguir cientistas e engenheiros sociedade afora. São Paulo: Ed. Unesp, 2000.
PATARRA, Neide Lopes. Emigração e imigração internacionais no Brasil contemporâneo. São Paulo: Fundo de População das Nações Unidas, 1995.
PINTO, Lara Constantino & OBREGON, Marcelo Fernando Q. A crise dos refugiados na Venezuela e a relação com o Brasil. Derecho y Câmbio Social- Revista Jurídica, Lima. v.15 n.53: 17-29, 2018. Link: https://www.derechoycambiosocial.com/revista051/A_CRISE_DOS_REFUGIADOS_NA_VENEZUELA.pdf.
ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL PARA AS MIGRAÇÕES (OIM). Glosario sobre Migración. Ginebra, Suiza, 2006
SANTOS, Boaventura de Sousa; MENDES, José Manuel (orgs.). Demodiversidade. Imaginar novas possibilidades democráticas. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2018.
SILVA, Rafaela C. & SILVA, Fora Coralina M. A proteção ao refugiado e a soberania no fechamento de fronteiras: análise do fechamento temporário da fronteira Brasil-Venezuela. FIDƩS- Revista de Filosofia do Direito, do Estado e da Sociedade. v. 10, n. 1: 136-155, 2019. Link: http://www.revistafides.ufrn.br/index.php/br/article/view/359/365
TAROUCO, Gabriela da S; MADEIRA, Rafael M. A dimensão esquerda-direita: um debate sobre os partidos brasileiros. CISO - ENCONTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS DO NORTE E NORDESTE, 14., 2009, Recife. Anais. Recife: Fundação Joaquim Nabuco, 2009.
VALENTE, José. A. Aprendizagem Ativa no Ensino Superior: a proposta da sala de aula invertida. Departamento de Multimeios, Nied e GGTE - Unicamp & Ced – PUC/SP. São Paulo. 2016.
WEBER, Max. A ciência como vocação. In _____. Ciência e Política - duas vocações. São Paulo: Cultrix, 1999.
Publicado
22-12-2020
Como Citar
Rodrigues de Paula, R. (2020). MEDIAÇÕES EM REDES: REFLEXÕES PRELIMINARES SOBRE A ATUAÇÃO COM REFUGIADOS A PARTIR DAS IDEIAS DE BRUNO LATOUR. Educação Sem Distância - Revista Eletrônica Da Faculdade Unyleya, 1(2). Recuperado de https://educacaosemdistancia.unyleya.edu.br/esd/article/view/61
Seção
Práticas profissionais: Educação