Formação Profissional e Supervisão direta de estágio em Serviço Social: subsídios da educação popular

  • MARCIO DE SOUZA Faculdade Unyleya/PUC-Rio/UNESA/UGB
  • Lilian Angélica da Silva Souza UNESA
  • Edilma Soares da Silva PUC-RIO
Palavras-chave: Serviço Social. Formação Profissional. Supervisão Direta de Estágio. Educação Popular.

Resumo

O presente artigo apresenta um estudo exploratório de cunho bibliográfico sobre as contribuições da educação popular, formulada por Paulo Freire, na formação profissional e na supervisão direta de estágio em Serviço Social. Ressalta a importância da educação popular, que se revela comprometida com as transformações societárias, no fortalecimento das dimensões teórico‑metodológica, ético‑política e técnico‑operativa do Serviço Social, afirmando sua vinculação com o projeto ético-político da profissão e com as mediações necessárias para o exercício profissional.

Referências

ABEPSS. Nota da Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social referente ao estágio supervisionado no período de isolamento social para o combate ao Novo Coronavírus (COVID-19). Brasília (DF), 03 de abril de 2020.
ABEPSS. Política Nacional de Estágio - PNE. Brasília: ABEPSS, 2009.
ABESS/CEDEPSS. Caderno ABESS n. 07. Caderno Especial: Formação Profissional: trajetórias e desafios. Cortez, São Paulo: 1996.
BARBOSA, A. M. G. O importante papel do estágio no desenvolvimento de competências. Revista Ágora. Ano 1, n 1, out. 2004.
BEHRING, E. R. Brasil em contra-reforma: desestruturação do Estado e perda de direitos. São Paulo: Cortez, 2003.
BRASIL. Lei nº 11.788, de 25 de setembro de 2008. Dispõe sobre o estágio de estudantes e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 26 de set. 2008.
BRASIL. Resolução CNE/CES nº 15, de 13 de março de 2002. Estabelece as Diretrizes Curriculares para os cursos de Serviço Social.
BURIOLLA, M. A. F. O Estágio Supervisionado. 3ª ed. São Paulo: Cortez, 2001.
BURIOLLA. M. A. F. Supervisão em Serviço Social: o supervisor, sua relação e seus papéis. 3ª ed. São Paulo: Cortez, 2003.
CFESS. Código de Ética Profissional dos Assistentes Sociais. Resolução CFESS nº. 273, de 13 de março de 1993, com as alterações introduzidas pelas Resoluções CFESS nº 290/94 e nº 293/94.
CFESS. Resolução nº 533, de 29 de setembro de 2008. Regulamenta a supervisão direta de estágio no Serviço Social.
CFESS. Subsídios para a atuação de assistentes sociais na Política de Educação. Série Trabalho e Projeto Profissional nas Políticas Sociais, nº 3, 2013.
CHESNAIS, F. As raízes da crise econômica mundial. EM PAUTA, Rio de Janeiro – 1º semestre de 2013, n. 31, v. 11, p. 21-37.
COUTINHO, C. N. O estruturalismo e a miséria da razão. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1972, 244 p.
FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra. 1987.
FREIRE, P. Política e Educação. 6ª ed. São Paulo: Cortez, 2001.
GOMES, M. F. C. M. Paulo Freire e o Serviço Social no Brasil: elementos do pensamento freiriano para superação do conservadorismo na profissão. EM PAUTA, Rio de Janeiro (RJ), v. 9, n. 27, p. 55-69, jul. 2011.
GUERRA, Y. A instrumentalidade do Serviço Social. São Paulo: Cortez, 1995.
GUERRA, Y. A dimensão técnico-operativa do exercício profissional. In: SANTOS, C. M.; BACKX, S.; GUERRA, Y. (Orgs.). A dimensão técnico-operativa no Serviço Social: desafios contemporâneos. 2. ed. Juiz de Fora: UFJF, 2013. p. 45-74.
IAMAMOTO, M. V. Renovação e conservadorismo no Serviço Social. São Paulo: Cortez, 1999.
IAMAMOTO, M. V. Projeto profissional, espaços ocupacionais e trabalho do assistente social na atualidade. In: CFESS. Atribuições privativas do(a) assistente social em questão. 2002.
IAMAMOTO, M. V. O Serviço Social na contemporaneidade: trabalho e formação profissional. 7ª ed. São Paulo: Cortez, 2004.
LEWGOY, A. M. B. Pensar a Supervisão em Serviço Social: ser ou não ser, eis a questão! Dissertação de Mestrado. Departamento de Serviço Social. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 2007.
MACHADO, A. M. B. Serviço Social e educação popular: diálogos possíveis a partir de uma perspectiva crítica. Serv. Soc. Soc., São Paulo, n. 109, p. 151-178, jan./mar. 2012.
MACHADO, A. M. B.; SILVA, A. M.; TOLENTINO, G. M. P. Paulo Freire e a educação popular na história do Serviço Social brasileiro (1980-2010). Serv. Soc. Soc., São Paulo, n. 134, p. 70-87, jan./abr. 2019.
NETTO, J. P. A construção do projeto ético-político do Serviço Social. In: MOTA, A. E. et (Orgs.) Serviço Social e Saúde: Formação e Trabalho Profissional. Rio de Janeiro: Cortez, 2006.
OLIVEIRA, C. A. H. da S. O Estágio Supervisionado na Formação Profissional do Assistente Social: desvendando significados. Serviço Social & Sociedade. n. 80. São Paulo: Cortez, 2004.
PINTO, R. M. F. Estágio e Supervisão: um desafio teórico-prático do Serviço Social. São Paulo, NEMESS, 1997.
RAMOS, S. R. As Diretrizes curriculares e a Política Nacional de Estágio: Fundamentos, polêmicas e desafios. Temporalis, Brasília, ano IX, n. 17, 2009.
SILVA, M. O. S. Formação Profissional do Assistente Social. São Paulo: Cortez, 1984.
VIEIRA, B. O. Supervisão em Serviço Social. Editora Agir, 1979.
Publicado
08-12-2021
Como Citar
DE SOUZA, M., da Silva Souza, L. A., & Soares da Silva, E. (2021). Formação Profissional e Supervisão direta de estágio em Serviço Social: subsídios da educação popular. Educação Sem Distância - Revista Eletrônica Da Faculdade Unyleya, 1(4). Recuperado de https://educacaosemdistancia.unyleya.edu.br/esd/article/view/114
Seção
Artigos de pesquisa