Sustentabilidade Em Saúde: Uma Reflexão Sobre Dados Epidemiológicos Associados Ao Uso Indiscriminado De Medicamentos

  • Adriano Camargo de Oliveira Faculdade Unyleya
  • Mirna Miguel Passos Faculdade Unyleya
Palavras-chave: Uso indiscriminado de medicamentos, Dados epidemiológicos, Sustentabilidade em saúde, Vigimed, AuditaSUS

Resumo

O presente artigo propõe uma reflexão acerca do uso indiscriminado de medicamentos e suas complicações sociais. Para tanto, foi realizada uma pesquisa exploratória, onde foi possível realizar uma análise histórica sobre o tema, desde os registros do efeito talidomida, que culmina em discussões na Conferência de Nairóbi da OMS, em 1985, e as políticas públicas brasileiras que sucederam à conferência. Além disso, a partir dos registros de farmacovigilância publicados pela ANVISA, foi possível identificar os principais medicamentos e efeitos registrados no Brasil, desde 2018, e realizar um comparativo a partir das classes medicamentosas mais consumidas associando o uso de medicamentos ao aumento do custo-médio por internação no Sistema Único de Saúde. O artigo traz à luz os primeiros dados publicados a respeito do consumo de Hidroxicloroquina e Azitromicina durante a pandemia da Covid-19, e as implicações à saúde do uso de medicamentos sem comprovação de eficácia no tratamento precoce à doença. A discussão dos resultados indica o uso indiscriminado de medicamentos como um problema cultural, mas que acarreta em implicações financeiras, no aumento do custo-médio por atendimento, e sociais, possibilitando o crescimento de bactérias multirresistentes. Por fim, são elencadas as estratégias para a promoção do uso racional adotadas pela ANVISA.

Referências

ANVISA. VigiMed faz dois anos de existência e comemora resultados. Farmacovigilância, 2021. Disponível em: https://www.gov.br/anvisa/pt-br/assuntos/noticias-anvisa/2021/vigimed-faz-dois-anos-de-existencia-e-comemora-resultados

ARRAIS, Paulo Sérgio Dourado et. al. Prevalência da automedicação no Brasil e fatores associados. Rev Saude Publica. 2016; 50

BRASIL. Boletim de Farmacovigilância - Vigimed. Minitério da Saúde, Brasília, 2018, Edição 5.

BRASIL. VigiMed vai receber eventos adversos de medicamentos. 2018, Disponível em: https://www.gov.br/anvisa/pt-br/assuntos/noticias-anvisa/2018/vigimed-vai-receber-eventos-adversos-de-medicamentos;

BRASIL. Política nacional de medicamentos. Ministério da Saúde, Secretaria de Políticas de Saúde. Brasília, 2001;

BRITO-SILVA, Keila et. al. Direito à saúde e integralidade: uma discussão sobre os desafios e caminhos para sua efetivação. Interface - Comunicação, Saúde, Educação. 2012, v. 16, n. 40, pp. 249-260;

CANTANHÊDE, Eliane. “É um risco enorme!”, diz diretor da ANVISA sobre corrida a farmácias por cloroquina para coronavírus. O Estado de S. Paulo, 20 de março de 2020, Saúde. Disponível em: https://saude.estadao.com.br/noticias/geral,e-um-risco-enorme-diz-diretor-da-anvisa-sobre-corrida-a-farmacias-por-cloroquina-para-coronavirus,70003241986;

CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE. Consumo de medicamentos: Um autocuidado perigoso. Ministério da Saúde, 2005. Disponível em: http://www.conselho.saude.gov.br/ultimas_noticias/2005/medicamentos.htm

CORTEGIANI, A. et. al (2020). A systematic review on the efficacy and safety of chloroquine for the treatment of COVID-19. Journal of Critical Care. doi:10.1016/j.jcrc.2020.03.005

FANNI, D. et. al. Vaccine-induced severe thrombotic thrombocytopenia following COVID-19 vaccination: a report of an autoptic case and review of the literature. Eur Rev Med Pharmacol Sci, 2021, Vol 25. DOI: 10.26355/eurrev_202108_26464

GIL, A. C. Como Elaborar Projetos de Pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

JUNIOR, N. M. D. C., & SÁ DA SILVA, J. R. (2017). (In) Visibilidade Da Escola Na Discussão Sobre O Uso Racional De Medicamentos. Revista Contexto &Amp; Educação, 32(102), 145–169;

MARTINS, Renata. Corrida por medicamentos à base de cloroquina deixam doentes que precisam sem o produto. Agência Brasil, 21 de março de 2020: Disponível em: https://agenciabrasil.ebc.com.br/radioagencia-nacional/acervo/saude/audio/2020-03/corrida-por-medicamentos-base-de-cloroquina-deixam-doentes-que-precisam-sem-o/

MARTINS, Thays. Pacientes com lúpus sofrem por falta de hidroxicloroquina na farmácia de Alto Custo. Correio Braziliense, 07 de julho de 2021. Disponível em: https://www.correiobraziliense.com.br/cidades-df/2021/07/4936110-pacientes-com-lupus-sofrem-por-falta-de-hidroxicloroquina-na-farmacia-de-alto-custo.html;

MELO, José Romério Rabelo et al. Automedicação e uso indiscriminado de medicamentos durante a pandemia da COVID-19. Cadernos de Saúde Pública. 2021, v. 37, n. 4

MELLO, Patricia Franco. Brasil é único país onde fake news sobre cloroquina ainda circulam com frequência. Folha de S. Paulo. 23 de novembro de 2020, Saúde. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2020/11/brasil-e-unico-pais-onde-fake-news-sobre-cloroquina-ainda-circulam-com-frequencia.shtml;

MORO, Adriana; INVERNIZZI, Noela. A tragédia da talidomida: a luta pelos direitos das vítimas e por melhor regulação de medicamentos. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, Rio de Janeiro, v.24, n.3, jul.-set. 2017, p.603-622;

PRAZERES, Leandro & FERREIRA, Paula. ‘Kit Covid': Reações adversas à cloroquina disparam 558% e Anvisa já registra nove mortes. O Gobo, 05 de abril de 2021. Disponível em: https://oglobo.globo.com/brasil/kit-covid-reacoes-adversas-cloroquina-disparam-558-anvisa-ja-registra-nove-mortes-1-24956029

PROADI-SUS. Rede Sentinelas em Ação. 2019, Disponível em: https://hospitais.proadi-sus.org.br/projetos/103/rede-sentinelas;

RODRIGUES, Vandilson Pinheiro; THOMAZ, Érika Barbara Abreu Fonseca; ABREU, Thalita Queiroz. Epidemiologia e Determinantes da Saúde in Conceitos e Ferramentas da Epidemiologia. 2015, São Luiz, UNA-SUS, UFMA, p.15-27;

TANIGUCHI, Leandro Utino et al. Disponibilidade de recursos para tratamento da sepse no Brasil: uma amostra aleatória de instituições brasileiras. Revista Brasileira de Terapia Intensiva. 2019, v. 31, n. 02, pp. 193-201;

VARALLO, Fabiana Rossi; MASTROIANNI, Patrícia de Carvalho. Farmacovigilância: da teoria à prática. São Paulo: Editora Unesp, 2013. ISBN 9788539304158. Disponível em: http://hdl.handle.net/11449/113722;

WANNMACHER, Lenita. Uso indiscriminado de antibióticos e resistência microbiana: Uma guerra perdida? Uso Racional de Medicamentos: Temas Selecionados, Vol. 1, n.4, 2004.

WHO. Promoting rational use of medicines. Disponível em: https://www.who.int/activities/promoting-rational-use-of-medicines
Publicado
21-12-2021
Como Citar
Camargo de Oliveira, A., & Miguel Passos, M. (2021). Sustentabilidade Em Saúde: Uma Reflexão Sobre Dados Epidemiológicos Associados Ao Uso Indiscriminado De Medicamentos. Educação Sem Distância - Revista Eletrônica Da Faculdade Unyleya, 1(4). Recuperado de https://educacaosemdistancia.unyleya.edu.br/esd/article/view/121
Seção
Artigos de Iniciação Científica e Extensão