Sustentabilidade e Segurança Alimentar Ambulante na cidade de Santos-SP

Palavras-chave: Segurança Alimentar Ambulante. Sustentabilidade. Condições Higiênico Sanitárias.

Resumo

Resumo: Introdução: O comércio de alimentos prontos para o consumo por vendedores ambulantes pode constituir um alto risco para a saúde dos consumidores, visto que as pessoas envolvidas nesta atividade mesmo tendo conhecimento sobre a manipulação correta dos alimentos, não asseguram à população a inocuidade dos mesmos. Objetivos: Verificar as condições higiênico sanitárias em pontos de vendas de comercialização de alimentos por ambulantes, da Categoria Pastel e Refrigerante com Uso de Carro de Mão na região da Ponta da Praia, na cidade de Santos. Elaborar um Checklist sobre as condições higiênicas, de manipulação e de sustentabilidade gerais dos ambulantes. Metodologia: Estudo de corte transversal analítico cujo objetivo foi obter dados fidedignos que ao final da pesquisa permitiram elaborar conclusões confiáveis, robustas, além de gerar novas hipóteses que poderão ser investigadas com novas pesquisas. Resultados: A pesquisa revelou que 100% dos ambulantes têm unhas limpas, protegem o carrinho contra insetos, separam o material de limpeza do alimento e fabricam gelo com água potável. 90% realiza exame de saúde periódico, acondicionam o lixo adequadamente, 83% utilizam pano bactericida, 58% não utilizam adornos, 58% não higienizam as hortaliças, 75% utiliza água potável para limpeza, 75% participam do Curso de Manipulação de Alimentos, 67% não tem objetos de madeira, 58% reciclam o óleo, 70% não tem objetos em desuso. 30% utilizam saches de condimentos, 100% não elaboram Cronograma de Limpeza. Conclusão: Sugere-se a adoção de medidas que contribuam para a execução de trabalhos educativos e de conscientização juntos aos ambulantes.

Referências

ANVISA. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. O novo coronavírus pode ser transmitido por alimentos? 2020. Disponível em:. Acesso em 04 ago. 2020.

BRASIL. Lei Complementar nº 527, de 06 de agosto de 2005. 2005. Dispõe sobre a Regulamentação Municipal e estabelece parâmetros para Aplicação de Regulamento Técnico de Boas Práticas para Serviços de Alimentação na cidade de Santos. Disponível em:. Acesso em 04 ago. 2020.

BRASIL, 2004. Resolução RDC nº. 216, de 15 de setembro de 2004. Dispõe sobre o Regulamento Técnico de Boas Práticas para Serviços de Alimentação. D.O.U. de 16/09/2004. Disponível em:. Acesso em 04 ago. 2020.

BRASIL, 1999. Portaria CVS-06, de 10 de março de 1999. Dispõe sobre o Regulamento Técnico, que estabelece parâmetros e critérios para o controle higiênico-sanitário em estabelecimentos de alimentos. D.O.E. de 12/03/1999. Disponível em:. Acesso em 04 ago. 2020.

BRASIL. DEFISCO. Departamento de Fiscalização de Mercado e Comércio Viário. Categorias de licenças comércio ambulante. 2007. 36 p.

BRITO, Daniele Santos; SOUZA, Wanessa Lima. A importância do uso de equipamentos de proteção individual e a segurança dos alimentos manipulados por ambulantes no município de João Pessoa/PB. Revista Nutrição Brasil, v. 18, n° 2, p. 1-9, setembro 2019. Disponível em:< https://portalatlanticaeditora.com.br/index.php/nutricaobrasil/article/view/2387/5609> Acesso em 04 ago. 2020.

CARDOSO, R.C.V. et al. Comida de Rua: um espaço para estudo na Universidade Federal da Bahia. Revista de Higiene Alimentar, v. 17, nº 111, p.12-17, agosto 2003.

CGPAN – Coordenação Geral da Política de Alimentação e Nutrição, 2000. Garantia da Segurança e da Qualidade dos Produtos e da Prestação de Serviços na área de alimentos. Disponível em http://www.portal.saude.gov.br> Acesso em: 04 set. 2020.

MARINS, Bianca Ramos. et al. Segurança alimentar no contexto da vigilância sanitária: reflexões e práticas. Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro: EPSJV, 2014, 288 p. Disponível em:
SANTOS, Suzana Ferreira dos. et al. Comida de rua: avaliação das boas práticas nas barracas de lanche da praça de Boa Viagem- Recife (PE). In: Anais da VII mostra de pesquisa em ciência e tecnologia Devry Brasil. Anais... Belém, Caruaru, Fortaleza, João Pessoa, Manaus, Recife, Salvador, São Luís, São Paulo, Teresina: Devry Brasil, 2016. Disponível em: . Acesso em 04 ago. 2020.

SOUSA, Hermanny Matos Silva. et al. Segurança dos alimentos no contexto da pandemia por SARS-COV-2. Revista Desafios, v.7, n. Supl. COVID-19, 2020: 1-9. Disponível em:<
https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/desafios/article/download/8771/16716>. Acesso em 04 ago. 2020.

ZANGIROLAMI-RAIMUNDO, Juliana. et al. Tópicos de metodologia de pesquisa: Estudos de corte transversal. Journal of Human Growth and Development. 2018; 28 (3):356-360. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/rbcdh/v28n3/pt_17.pdf. Acesso em 15 set. 2020.
Publicado
18-12-2020
Como Citar
ZORER, J., & Araújo, E. (2020). Sustentabilidade e Segurança Alimentar Ambulante na cidade de Santos-SP. Educação Sem Distância - Revista Eletrônica Da Faculdade Unyleya, 1(2). Recuperado de https://educacaosemdistancia.unyleya.edu.br/esd/article/view/59
Seção
Artigos de Iniciação Científica e Extensão