Um Michelet de Orléans: uma visão romântica e nacionalista sobre a figura de Joana D’arc

  • Tatiana Ribeiro Unyleya
Palavras-chave: Jules Michelet; Joana D’arc; nacionalismo; povo; romantismo, historiografia

Resumo

O presente artigo tem como objetivo buscar a visão sobre a historiografia oitocentista tendo como figura central o historiador francês Jules Michelet, abordando a personagem Joana D’arc composta em sua obra. Busca-se elucidar a respeito da heroína e padroeira francesa, levantando questionamentos sobre a ressignificação de sua imagem, a população e a mentalidade medieval; contrapondo com questões ligadas a figura da Donzela no século XIX; quando o romantismo, nacionalismo e o povo tornam-se um dos assuntos principais entre a historiografia da época

Referências

ANDERSON, Benedict, Comunidades Imaginadas. Trad. Denise Bottman. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

ALMEIDA, Ana. A Representação de Joana D’Arc em La Pucelle D’Orléans. Revista do Corpo Discente do Programa de Pós Graduação em História da UFRGS – AEDOS. Edição: Janeiro\2007. Extraído do site: https://seer.ufrgs.br/aedos/article/view/22306/13122. Acesso: 15 de Junho de 2019.

AMARAL, Flávia. Escrever sobre Joana d’Arc no século XIX: inovação ou tradição?. Anais do XXVI Simpósio Nacional de História – ANPUH. Universidade de São Paulo. Julho 2011.

AMARAL, Flávia. História e ressignificação: Joana d’Arc e a historiografia francesa da primeira metade do século XIX. Tese de Doutorado Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas.São Paulo. 2012. Extraído do site : http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-14012013-105821/pt-br.php. Acesso: 10 de Junho de 2019.

BARBOSA, Márcia. Nação, um discurso simbólico da modernidade. Crítica Cultural (Critic), Palhoça, SC, v. 6, n. 1, p. 203-216, jan./jun. 2011. . Extraído do site: http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Critica_Cultural/article/view/734 . Acesso em 20 de Janeiro de 2019

DIAS. Sandro. As palavras e o coração - estudo sobre algumas imagens em O povo de Jules Michelet - Unicamp. Instituto de Estudos da Linguagem, 2003

DUARTE, Luiz. A Pulsão Romântica E As Ciências Humanas No Ocidente. Trabalho apresentado originalmente no seminário: É Todos Pós-Românticos, CCBB/Rio de Janeiro, 24 a 27 de setembro de 2002. Vol. 19 nº. 55 junho/2004.

ELEUTHÉRIO, Mayquel. O Filósofo e a Donzela: a corrosão do mito de Joana d’Arc por Voltaire em La Pucelle d’Orléans. Aedos. n. 10 vol. 4 – Jan/Jul 2012. Extraído do site: https://seer.ufrgs.br/aedos/article/view/24603. Acesso em 15 de Fevereiro de 2019.

HOBSBAM, Eric. Sobre História- Ensaio. Trad. Moreira, Cid. Companhia de Bolso, 2013.. Disponível pelo Le Livros.

LE, Goff.. História e Memória. Editora da Unicamp, 1990. Disponível pelo Le Livros.

MATOS, Julia. Joana D’Arc entre a História e a Literatura: de Jules Michelet a Érico Veríssimo. Aedos - ISSN 1984- 5634 http://www.seer.ufrgs/aedos Num. 7, vol. 3, Fevereiro 2011.

MICHELET, Jules. Joana D’Arc. Trad. Plínio Augusto Coelho. São Paulo: Imaginário/Polis, 1995.

NORA, Pierre. Entre Memória e História: a problemática dos lugares. Trad. Yara Aun Khoury. São Paulo, 1993.

NUNES, Wanessa. Processo Inquisitorial De Joana D’arc: Conflitos Políticos e Religioso. Faculdade de Educação, Ciências e Letras. Departamento de História. Brasília, 2015.

OLIVEIRA, Osmar. Processo Civilizador Segundo Norbert Elias .GETSEAM/UEM. 2012

OLIVEIRA, Therezinha. A historiografia francesa dos séculos XVIII e XIX: as visões iluminista e romântica da Idade Média. Departamento de Fundamentos da Educação, Universidade Estadual de Maringá, Av. Colombo, 5790, 87020-900, Maringá- Paraná, Brazil.1999

PERNOUD, Régine. Joana D'Arc, a mulher forte. Tradução Jairo Veloso Vargas J. - São Paulo: Paulinas,1996.

PERROT, Michelle. Escrever Uma História Das Mulheres: Relato De Uma Experiência. cadernos pagu (4) 1995: pp. 9-28. Conferência proferida no Núcleo de Estudos de Gênero Pagu em 06 de maio de 1994 (Unicamp). Tradução de Ricardo Augusto Vieira - Mestrando em Filosofia, UNICAMP.

RABELO. Agnaldo O Romantismo nas páginas de a Feiticeira. Anais Eletrônicos- VI Encontro Estafual de História – ANPUH/BA -2013

RABELO, Agnaldo. Michelet, Desesperança e Fúria Na Idade Média: Nasce A Feiticeira. Projeto de Pesquisa de Iniciação Científica que conta com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (FAPESB). Orientadora: Ma. Maristela Toma. Simpósio Internacional de Estudos Inquisitoriais – Salvador. Agosto, 2011.

RABELO, Agnaldo. Michelet, Desesperança E Fúria Na Idade Média: Nasce A Feiticeira.

RIZO, Gabriela. A Renascença De Michelet A Tarefa Pedagógica Do Historiador Diante De Seu Povo. Londrina, v. 6, p. 187-198, Out. 2000.

RIZZO, Marcelo. HISTÓRIA DE META-HISTÓRIA: Um estudo sobre a teoria da história de Hayden White, 2005.

SALIBA, Elias Thomé. A sombra do imortal: reflexões sobre a nação e a memória. Anais do Museu Paulista. São Paulo. N. Sér. v.4 p.309-16 jan./dez. 1996. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/anaismp/v4n1/a21v4n1.pdf. Acesso em 15 de Janeiro de 2019

SANTOS, Afonso. Nação e História: Jules Michelet e o Paradigma Nacional na Historiografia do Século XIX. Revista de História 144 (2001), 151-180

SCHREINER, Michelle. Jules Michelet e a História que ressuscita e dá vida aos homens: Uma leitura da emergência do “povo” no cenário historiográfico francês da primeira metade do século XIX. AGOSTO / 2005

SCHREINER, Michelle. Jules Michelet E o Romantismo Político na História: Um estudo sobre o conceito de “povo” na historiografia francesa da primeira metade do século XIX. Campinas, 2001.

TEIXEIRA, Maria. História ao Pé da Letra: Uma Introdução à obra de Jules Michelet. Caligrama. Belo Horizonte. 2011.

TEIXEIRA, Maria. Jules Michelet: Um Historiador Às Voltas Com A Crítica Literária. UFMG (cadernos literários. 23), 2015. Disponível em: https://periodicos.furg.br/cadliter/article/view/5488/5894. Acesso em 6 de julho de 2019.

TEIXEIRA, Maria, Michelet, Teórico Do Romance. Universidade Federal de Minas Gerais Belo Horizonte – Brasil ALEA | Rio de Janeiro | vol. 19/3 | p. 618-635 | set-dez. 2017

WHITE, Hayden. Meta – História : a imaginação histórica do século XIX. Trad. José Laurênio de Melo. Ed. USP,1992.
Publicado
30-06-2021
Como Citar
Ribeiro, T. (2021). Um Michelet de Orléans: uma visão romântica e nacionalista sobre a figura de Joana D’arc. Educação Sem Distância - Revista Eletrônica Da Faculdade Unyleya, 1(3). Recuperado de https://educacaosemdistancia.unyleya.edu.br/esd/article/view/103
Seção
Artigos de pesquisa