Filocraft: ensino de filosofia e gamificação na escola

Palavras-chave: Ensino de filosofia. Gamificação na educação. Gamificação no ensino de filosofia. Filosofia e Minecraft. Filocraft.

Resumo

Este artigo tem como objetivo apresentar um diálogo entre as experiências nas aulas de filosofia com alunos do Centro de Enriquecimento de Talentos e Altas Habilidades (CETAH), na Escola Solange Dreux, localizado em Niterói/RJ, as teorias de Gallo (2012), Rancière (2013), Sátiro e Wuensch (1997) sobre ensino-aprendizagem de filosofia, e também as ideias de Alves, Minho e Diniz (2014) acerca da gamificação na educação. Pois, com base numa reflexão sobre os trabalhos desenvolvidos nessa mesma escola, no projeto Filocraft, os resultados sugerem uma facilitação do processo de ensino-aprendizagem, mediante uma interface entre a filosofia e o jogo Minecraft, privilegiando o pensamento complexo, segundo Morin (2007a).

Referências

ALVES, Dalton José. A filosofia no Ensino médio: ambigüidades e contradições da LDB. Campinas: Autores Associados, 2002.

ALVES, Lynn Rosalina Gama; MINHO, Marcelle Rose da Silva; DINIZ, Marcelo Vera Cruz. Gamificação: diálogos com a educação. In: FADEL, Luciane Maria et al. (org.). Gamificação na educação. São Paulo: Pimenta Cultural, 2014, p. 77-97. Disponível em: http://www.pgcl.uenf.br/arquivos/gamificacao_na_educacao_011120181605.pdf>. Aceso em 28/11/2019.

ARANHA, Maria Lúcia Arruda. Filosofar com textos: temas e história da filosofia. 2. Ed. São Paulo: Moderna, 2017. Coleção vereda digital.

ARANHA, Maria Lúcia Arruda; MARTINS, Maria Helena Pires. Filosofando: introdução à filosofia. 4. Ed. São Paulo: Moderna, 2009.

ARISTÓTELES. Metafísica: livro I e II. In: IDEM. Metafísica; Ética a Nicômaco; Poética. São Paulo: Abril Cultural, 1984, p. 8-43.

BASSHAM, Gregory; BRONSON, Eric. O hobbit e a filosofia: para quando você tiver perdido seus anões, seu mago e seu caminho. Tradução de Joana Faro. São Paulo: Best Seller, 2012.

BAUMAN, Zygmunt. Vida para consumo: a transformação das pessoas em mercadoria. Tradução de Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Zahar, 2018.

______. Modernidade líquida. Tradução de Plinio Dentzien. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

BAUMAN, Zygmunt; DONSKIS, Leonidas. Cegueira moral: a perda da sensibilidade na modernidade líquida. Rio de Janeiro: Zahar, 2014.

BAUMAN, Zygmunt; LEONCINI, Thomas. Nascidos em tempos líquidos: transformações no terceiro milênio. Tradução de Joana Angélica D’Avila Melo. Rio de Janeiro: Zahar, 2018.

BAUR, Michael; BAUR, Steven. Os Beatles e a filosofia: nada que você pense que não pode ser pensado. São Paulo: Madras, 2014.

BLIKSTEIN, Paulo. Digital fabrication and ‘making’ in education: the democratization of invention. In J. Walter-Herrmann & C. Büching (Eds.), FabLabs: of machines, makers and inventors. Bielefeld: Transcript Publishers, 2013. Disponível em: . Acesso em: 11/12/2019.

BRASIL. Base nacional comum curricular. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf.>Acesso em: 28/11/2019.

______. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm>. Acesso em 28/11/2019.

______. Orientações curriculares para o ensino médio. Volume 3: ciências humanas e suas tecnologias. Brasília, DF: Ministério da Educação; Secretaria de Educação Básica, 2006. Disponível em: . Acesso em: 12/12/2019.

______. Parâmetros curriculares nacionais: ensino médio. Parte IV: ciências humanas e suas tecnologias. Brasília, DF: Ministério da Educação; Secretaria de Educação Básica, s/d. Disponível em: . Acesso em: 12/12/2019.

______. Projeto de Lei da Câmara dos Deputados (PLC) nº 6.003, de 2013 (Dep. Fed. Izalci Lucas Ferreira). Altera os arts. 9º, 35 e 36 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, de diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: < https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=1111123&filename=Tramitacao-PL+6003/2013>. Acesso em 12/12/2019.

______. Projeto de Lei do Senado (PLS) nº 2.579, de 2019 (Sen. Romário Faria). Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para dispor sobre a inclusão da filosofia e da sociologia como componentes curriculares obrigatórios nos três anos do ensino médio. Disponível em: . Acesso em: 12/12/2019.

BORRULL, Alba Solé. O que a geração alfa, a 1ª a ser 100% digital. BBC Brasil, 29/05/2019. Disponível em: . Acesso em: 14/12/2019.

BROOKER, Charlie. Black mirror. Netflix Brasil, 2011. Disponível em: https://www.netflix.com/br/title/70264888>. Acesso em: 12/12/2019.

BUCKINGHAM, Will. O livro da filosofia. 2. Ed. Rio de Janeiro: Globo Livros, 2010.

BUSARELLO, Raul Inácio. Gamification: princípios e estratégias. São Paulo: Pimenta Cultural, 2016. Disponível em: . Acesso em: 28/11/2019.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede: economia, sociedade e cultura. Volume 1. Tradução de Roneide Venâncio Majer. 17. Ed. São Paulo: Paz e Terra, 2016.

CERLETTI, Alejandro A. Ensino da filosofia e filosofia do ensino filosófico. In: GALLO, Sílvio; CORNELLI, Gabriele; DANELON, Márcio (org.). Filosofia do ensino de filosofia. Petrópolis, RJ: Vozes, 2003, p. 61-69.

CHAUÍ, Marilena. Convite à filosofia. 14. Ed. São Paulo: Ática, 2010.

COLOMBO, Angélica Antonechen. Gamificação nas aulas de filosofia. XVI SBGames, Curitiba, PR, Brazil, p. 998-1001, November 2nd-4th, 2017. Disponível em: . Acesso em: 28/11/2019.

COMTE-SPONVILLE, André. O pequeno tratado das grandes virtudes. Tradução de Eduardo Brandão. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2016.

CORTELLA, Mário Sérgio. Filosofia: e nós com isso? São Paulo: Nobilis Vozes, 2019.

______. Por que fazemos o que fazemos? São Paulo: Planeta do Brasil, 2016.

CORTELLA, Mário Sérgio; KARNAL, Leandro; PONDÉ, Luiz Felipe. Felicidade: modo de usar. São Paulo: Planeta do Brasil, 2019.

DESCARTES, René. Discurso do método. Tradução de Maria Ermantina Galvão. 2. Ed. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

DUAILLIER, Stéphane. A filosofia que começa: desafios para a filosofia no próximo milênio. In: GALLO, Sílvio; CORNELLI, Gabriele; DANELON, Márcio (org.). Filosofia do ensino de filosofia. Petrópolis, RJ: Vozes, 2003, p. 17-30. Coleção filosofia na escola, vol. VII.

DUNN, Georges A.; MICHAUD, Nicolas. Jogos vorazes e a filosofia: uma crítica da traição pura. São Paulo: Best Seller, 2013.

EBERL, Jason T.; DECKER, Kevin S. Star Wars e a filosofia: abra sua mente para uma nova galáxia. Tradução de Felipe Vieira; Monique D’Orazio. São Paulo: Universo do Livro, 2015.

ESPINOSA, Benedictus de. Ética. Tradução do Grupo de Estudos Espinosanos; coordenação de Marilena Chauí. São Paulo: EdUSP, 2015.

FÁVERO, Altair Alberto et. al. O ensino da filosofia no Brasil: um mapa das condições atuais. Caderno Cedes, Campinas, vol. 24, n. 64, p. 257-284, set./dez. 2004. Disponível em: . Acesso em: 12/12/2019.

GALICHET, François. A didática da filosofia na França: debates e perspectivas. In: GALLO, Sílvio; KOHAN, Walter Omar. (org.). Filosofia no ensino médio. 2. Ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2000, p. 49-63. Coleção filosofia na escola, vol.VI.

GALLO, Sílvio; KOHAN, Walter Omar. (org.). Filosofia no ensino médio. 2. Ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2000. Coleção filosofia na escola, vol.VI.

GALLO, Sílvio. Filosofia: experiência do pensamento. São Paulo: Scipione, 2014.

______. Metodologia do ensino de filosofia: uma didática para o ensino médio. Campinas, SP: Papirus, 2012.

GAARDER, Jostein. O mundo de Sofia. Tradução de João Azenha Junior. Rio de Janeiro: Companhia das Letras, 1995.

GARDNER, Howard. Inteligências múltiplas: a teoria na prática. Tradução de Maria Adriana Veríssimo Veronese. Porto Alegre; Artmed, 2000a.

______. Inteligência: um conceito reformulado. Tradução de Adalgisa Campos da Silva. São Paulo: Objetiva, 2000b.

HARARI, Yuval Noah. 21 lições para o século 21. Tradução de Paulo Geiger. São Paulo: Companhia das Letras, 2018.

IRWIN, William. Metallica e a filosofia: curso intensivo de cirurgia cerebral. Tradução de Marcos Malvezzi. São Paulo: Madras, 2019.

______. Lost e a filosofia: a ilha tem suas razões. Tradução de Marcos Malvezzi. São Paulo: Madras, 2014.

JACOBI, Henry; IRWIN, Michael. A guerra dos tronos e a filosofia: a lógica golpeia mais profundamente que as espadas. São Paulo: Best Seller, 2012.

KISHIMOTO, Tizuko Morchida (org.). Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. 8. Ed. São Paulo: Cortez, 2011, p. 13-43.

KOHAN, Walter Omar; LEAL, Bernardina (org.). Filosofia para crianças em debate. 2. Ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2000. Coleção filosofia na escola, vol. IV.

KUHN, Thomas. A estrutura das revoluções científicas. Tradução de Beatriz Vianna Boeira; Nelson Boeira. 12. Ed. São Paulo: Perspectiva, 2013. Coleção Debates, vol. 115.

LANGÓN, Mauricio. Apresentação da educação filosófica no Uruguai. In: GALLO, Sílvio; KOHAN, Walter Omar (org.). Filosofia no ensino médio. 2. Ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2000, p. 64-77. Coleção filosofia na escola, vol.VI.

LINDNER, Luís H.; KUNTZ, Viviane H. Gamificação de redes sociais voltadas para educação. In: FADEL, Luciane Maria et al. (org.). Gamificação na educação. São Paulo: Pimenta Cultural, 2014, p. 227-256. Disponível em: http://www.pgcl.uenf.br/arquivos/gamificacao_na_educacao_011120181605.pdf>. Aceso em 28/11/2019.

LIPMAN, Matthew. A filosofia vai à escola. Tradução de Maria Elenice Brzezinski; Lúcia Maria Silva Kremer. 3. Ed. São Paulo: Summus, 1990.

LIPMAN, Matthew; OSCANYAN, Frederick S.; SHARP, Ann Margareth. Filosofia na sala de aula. Tradução de Ana Luiza Fernandes Falcone. 2. Ed. São Paulo: Nova Alexandria, 2014.

LIPOVETSKY, Gilles. Os tempos hipermodernos. Tradução de Mário Vilela. São Paulo: Barcarolla, 2004.

LOPES, Maria da Glória. Jogos na educação: criar, fazer, jogar. 6. Ed. São Paulo: Cortez, 2005.

MCCRINDLE, Mark; WOLFINGER, Emily. The a, b, c of x, y, z: understanding the global generations. New South Waler, Aus: University of South Wales Press, 2010.

MCGONIGAL, Jane. A realidade em jogo: por que os games os tornam melhores e como eles podem mudar o mundo. Tradução de Eduardo Rieche. São Paulo: Best Seller, 2012.

MORIN, Edgar. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. Tradução de Eloá Jacobina. 17. Ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2010.

______. Ciência com consciência. Tradução de Maria D. Alexandre; Maria Alice Sampaio Dória. 13. Ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

______. O método 1: a natureza da natureza. Tradução de Ilana Heineberg. 2. Ed. Porto Alegre: Sulina, 2003.

______. Introdução ao pensamento complexo. Tradução de Eliane Lisboa. 3. Ed. Porto Alegre: Sulina, 2007.

MORIN, Edgar; KERN, Anne Brigitte. Terra pátria. Tradução de Paulo Neves. 6. Ed. Porto Alegre: Sulina, 2011.

NOGUEIRA, Nonato. Filosofia e cidadania: a moral da questão. 8º ano do ensino fundamental. Fortaleza: EdJovem, 2018.

______. Filosofia e cidadania: pensar é preciso para agir melhor. 6º ano do ensino fundamental. Fortaleza: EdJovem, 2014.

______. Filosofia: investigando o mundo da prática. 9º ano do ensino fundamental: Fortaleza: EdJovem, 2011a.

______. Filosofia: investigando a ciência e a lógica. 7º ano do ensino fundamental. Fortaleza: EdJovem, 2011b.

______. Filosofia: investigando o pensar. 6º ano do ensino fundamental. Fortaleza: EdJovem, 2011c.

NOGUEIRA, Nonato; SILVA, José Ferreira da. Filosofia e cidadania. 7º ano. Fortaleza: EdJovem, 2014.

OBIOLS, Guillermo A. O ensino de filosofia na Argentina: apresentação, problemas e perspectivas. In: GALLO, Sílvio; CORNELLI, Gabriele; DANELON, Márcio (org.). Filosofia do ensino de filosofia. Petrópolis, RJ: Vozes, 2003, p. 115-133. Coleção filosofia na escola, vol. VII.

PLATÃO. Diálogos I: Teeteto (ou do conhecimento), Sofista (ou do ser), Protágoras (ou sofistas). Tradução, textos complementares e notas de Edson Bini. Bauru, SP: Edipro, 2007.

______. Diálogos II: Górgias (ou da retórica), Eutidemo (ou da disputa), Hípias maior (ou do belo), Hípias menor (ou do falso). Tradução e notas de Edson Bini. 2. Ed. São Paulo: Edipro, 2016a.

______. Diálogos III: socráticos – Fedro (ou do belo), Eutífron (ou da religiosidade), Apologia de Sócrates, Críton (ou do dever), Fédon (ou da alma). Tradução, textos complementares e notas de Edson Bini. 2. Ed. São Paulo: Edipro, 2015a.

______. Diálogos IV: Parmênides (ou das formas), Político (ou da realeza), Filebo (ou do prazer), Lísis (ou da amizade). Tradução, textos complementares e notas de Edson Bibi. 2. Ed. São Paulo: Edipro, 2015b.

______. Diálogos V: O Banquete, Mênon (ou da virtude), Timeu, Crítias. Tradução, textos complementares e notas de Edson Bini. Bauru, SP: Edipro, 2010.

______. Diálogos VI: Crátilo (ou da correção dos nomes), Cármides (ou da moderação), Laques (ou da coragem), Ion (ou da Ilíada), Menexeno (ou oração fúnebre). Tradução e notas de Edson Bini. São Paulo: Edipro, 2016b.

POPPER, Karl. A lógica da pesquisa científica. Tradução de Leonidas Hegenberg; Octanny Silveira da Mota. 2. Ed. São Paulo: Cultrix, 2013.

RANCIÈRE, Jacques. O mestre ignorante: cinco lições sobre a emancipação intelectual. Tradução de Lílian do Valle. 3. Ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

RENZULLI, Joseph. O que é essa coisa chamada superdotação, e como a desenvolvemos?: uma retrospectiva de vinte e cinco anos. Educação, Porto Alegre, RS, ano XXVII, n. 1 (52), p. 75-131, jan./abr. 2004. Disponível em: . Acesso em: 09/12/2019.

RODRIGO, Lídia Maria. Filosofia em sala de aula: teoria e prática para o ensino médio. Campinas, SP: Autores Associados, 2009.

RUFFALDI, Enzo. O ensino de filosofia na Itália. In: GALLO, Sílvio; CORNELLI, Gabriele; DANELON, Márcio (org.). Filosofia do ensino de filosofia. Petrópolis, RJ: Vozes, 2003, p. 134-150. Coleção filosofia na escola, vol. VII.

SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula. Epistemologias do sul. 2. Ed. Lisboa: Almedina, 2010.

SARAMAGO, José. A caverna. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

SÁTIRO, Angélica; WUENSCH, Ana Míriam. Pensando melhor: iniciação ao filosofiar – manual do professor. São Paulo: Saraiva, 1997.

TEIXEIRA, Vanderson R. Cibersofia: o ensino de filosofia entre o espaço virtual (digital) e o espaço real (a sala de aula). UEL, XVI Semana de Educação, VI Simpósio de Pesquisa e Pós-Graduação em Educação, 2015. Disponível em: . Acesso em: 28/11/2019.

TWENGE, Jean M. IGen: por que as crianças superconectadas de hoje estão crescendo menos rebelde, mais tolerantes, menos felizes e completamente despreparadas para a idade adulta. Tradução de Thaïs Costa. São Paulo: NVersos, 2018.
Publicado
15-05-2020
Como Citar
Segal, R. (2020). Filocraft: ensino de filosofia e gamificação na escola. Educação Sem Distância - Revista Eletrônica Da Faculdade Unyleya, 1(1). Recuperado de https://educacaosemdistancia.unyleya.edu.br/esd/article/view/17
Seção
Artigos de pesquisa