INCIVILIDADES, CONFLITOS E VIOLÊNCIAS ESCOLARES: elucidando algumas categorias para a mediação de conflitos na escola

  • Robert Segal UNIRIO, UNYLEYA
Palavras-chave: Incivilidades. Conflitos. Violências escolares. Educação e ciências sociais. Mediação de conflitos na escola.

Resumo

Este artigo tem o objetivo apresentar os dados de uma pesquisa qualitativa sobre as incivilidades, os conflitos e as violências no contexto escolar, a partir de um estudo bibliográfico, com o intuito de proporcionar subsídios para uma reflexão acerca dos limites e das possibilidades da mediação de conflitos na escola. Para tanto, este mesmo trabalho realiza uma interface entre o campo da educação e das ciências sociais. Por ora, pode-se concluir que elucidar é importante na medida em que, para caso específico, importa um tipo de tratamento.

Referências

ABRAMOVAY, Miriam; RUA, Maria das Graças. Violência nas escolas. Brasília: UNESCO, Coordenação DST/AIDS do Ministério da Saúde, Secretaria de Estado dos Direitos Humanos do Ministério da Justiça, CNPq, Instituto Ayrton Senna, UNAIDS, Banco Mundial, USAID, Fundação Ford, CONSED, UNDIME, 2002.

ARAGÃO, Milena; FREITAS, Anamaria Gonçalves Bueno de. Práticas de castigos escolares: enlaces históricos entre normas e cotidianos. Conjectura, v. 17, n. 2, p. 17-36, maio/ago. 2012. Disponível em: . Acesso em 20/11/2020.

ARIÈS, Philippe. A história social da criança e da família. Tradução de Dora Flaksman. 2. Ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 1986.

BOURDIEU, Pierre; PASSERON, Jean-Claude. A reprodução: elementos para uma teoria do sistema de ensino. Tradução de Reynaldo Bairão. 5. Ed. Petrópolis, RJ; Vozes, 2012.

BRASIL. Decreto-lei nº 3.688, de 3 de outubro de 1941. Lei das contravenções penais. Disponível em: . Acesso em: 18/11/2020.

______. Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 18/11/2020.

BRITO, Geovane. ‘Educação pode mudar o mundo’, diz professor que sofreu bullying em sala de aula. G1, Globo, Santarém e Região, TV Tapajós, 03/04/2019. Disponível em: . Acesso em: 21/11/2020.

CANÁRIO, Rui. A escola tem futuro?: das promessas às incertezas. Porto Alegre: Artmed, 2006.

CARVALHO, Inaiá Maria Moreira de. A escolarização em famílias da classe trabalhadora. Cadernos de Pesquisa, n. 9, v. 42, São Paulo, Fundação Carlos Chagas, p. 27-40, ago./1982. Disponível em: . Acesso em: 20/11/2020.

CHARLOT, Bernard. A violência na escola: como os sociólogos franceses abordam a questão. Sociologias, Porto Alegre, ano 4, nº 8, p. 432-443, jul./dez. 2002. Disponível em: . Acesso em: 24/11/2020.

CHRISPINO, Alvaro; CHRISPINO, Raquel S. P. A mediação do conflito escolar. 2. Ed. São Paulo: Biruta, 2011.

______. A judicialização das relações escolares e a responsabilidade civil dos educadores. Ensaio: avaliação de políticas públicas em educação, Rio de Janeiro, v. 16, n. 58, p. 9-30, jan./mar. 2008. Disponível em: , Acesso em: 21/11/2020.

COMENIUS, Jan Amos. Didática magna. Tradução de Ivone C. Benedetti. 4. Ed. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2011.

CURY, Carlos Roberto Jamil; FERREIRA, Luiz Antonio Miguel. A judicialização da educação. Revista CEJ, Brasília, ano XIII, v. 1, p. 32-45, abr./jun. 2009. Disponível em: . Acesso em: 21/11/2020.

DADOUN, Roger. A violência: ensaio acerca do “homo violens”. Tradução de Pilar Ferreira de Carvalho; Carmen de Carvalho Ferreira. Rio de Janeiro: Difel, 1998.

D’AGOSTINI, Ana Carolina. A vítima do bullying é o professor. E agora? Nova Escola, 28/08/2019. Disponível em: . Acesso em: 12/11/2020.

DEBARBIEUX, Eric. A violência na escola francesa: 30 anos de construção social do objeto (1967-1997). Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 27, n. 1, p. 163-197, jan./jun. 2001. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/ep/v27n1/a11v27n1.pdf>. Acesso em: 20/11/2020.

DEBARDIEUX, Eric; BLAYA, Catherine (Org.). Violência nas escolas e políticas públicas. Tradução de Patrícia Zimbres. Brasília: UNESCO, 2002.

DENZIN, Norman K; LINCOLN, Yvonna S. Introdução: a disciplina e a prática da pesquisa qualitativa. In: IDEM (Org.). O planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens. Tradução de Sandra Regina Netz. 2. Ed. Porto Alegre: Artmed, 2006, p. 15-41.

DURKHEIM, Émile. Educação e sociologia. Tradução de Stephania Matousek. 5. Ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

ELIAS, Norbert. O processo civilizador. Volume 1: uma história dos costumes. Tradução de Ruy Jungmann. 2. Ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2011.

ELIAS, Norbert. Os alemães: a luta pelo poder e a evolução do habitus nos séculos XIX e XX. Tradução de Álvaro Cabral. Rio de Janeiro: Zahar, 1996.

FANTE, Cleo. Fenômeno bullying: como prevenir a violência nas escolas e educar para a paz. Campinas: Verus Editora, 2005.

FERREIRA, Paula. Educação 360: professores também sofrem bullying nas rede sociais. O Globo, Sociedade, 25/09/2018. Disponível em: . Acesso em: 21/11/2020.

GEERTZ, Clifford. O saber local: novos ensaios em antropologia interpretativa. Tradução de Vera Mello Joscelyne. Petrópolis: Vozes, 2004.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. Ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GROSS, Ondine. Restore the respect: how to mediate school conflicts & keep students learning. Baltimore, MD: Paul H. Brookes, 2016.

JABKLOWSKI, Gabriela Irina. Mediación escolar. Revista Digital 12(ntes), número 42 (segunda época), p. 3-8, abril/2018. Disponível em: . Acesso em: 24/11/2020.

KRIESBERG, Louis. Constructive conflicts: from escalation to resolution. 3. Ed. Lanham, MD: Rowman & Littlefield, 2007.

LUCKESI, Cipriano C. Avaliação da aprendizagem escolar: estudos e proposições. 9. Ed. São Paulo: Cortez, 1999.

GUIMARÃES, Eloisa. Escola, galera e narcotráfico. 2. Ed. Rio de Janeiro: UFRJ, 2003.

MAFFESOLI, Michel. A violência totalitária: ensaios de antropologia política. Tradução de Nathanael C. Caixeiro. Porto Alegre: Sulina, 2001.

______. A dinâmica da violência. Tradução de Cristina M. V. frança. São Paulo: Revista dos Tribunais; Vértice, 1987.

MAYER, Mathew J.; JIMERSON, Shane R. School safety and violence prevention: science, practice, policy. Washignton, DC: American Psychological Association, 2019.

MOORE, Christopher W. O processo de mediação: estratégias práticas para a resolução de conflitos. Tradução de Magda França Lopes. 2. Ed. Porto Alegre: Artmed, 1998.

MORIN, Edgar. A cabeça bem feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. 15. Ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2008.

NISZ, Charles. Nos EUA, aluno sofre bullying de colegas e do professor na sala de aula. Yahoo Notícias, 30/08/2012. Disponível em: . Acesso em: 21/11/2020.

OLIVEIRA, Cynthia Bisinoto Evangelista de; MARINHO-ARAÚJO, Claisy Maria. A relação família-escola: intersecções e desafios. Estudos de Psicologia, Campinas, 27(1), p. 99-108, jan./mar. 2010. Disponível em: . Acesso em: 04/11/2020.

OLWEUS, Dan. Bullying at school: what we know and what we can do. Oxford: Blackwell Publishers, 1993.

POLONIA, Ana da Costa; DESSEN, Maria Auxiliadora. Em busca de uma compreensão entre família e escola. Psicologia Escolar e Educacional, v. 9, n. 2, p. 3030-312, 2005. Disponível em: . Acesso em: 12/11/2020.

RIOS, Zoé. A mediação de conflitos no cenário escolar. Belo Horizonte: RHJ, 2012.

RUMMEL, Rudolph J. Understanding conflict and war. Vol 2: the conflict helix, chapter 26. California: Savage Publications, 1976. Disponível em: . Acesso em: 11/11/2020.

SEGAL, Robert Lee. Mediação de conflitos escolares: sobre famílias e escolas no mesmo lado da mesa. Monografia (Especialização em Mediação de Conflitos, com ênfase em família) – Instituto A Vez do Mestre, Universidade Cândido Mendes, Rio de Janeiro, 2019a. Disponível em: . Acesso em: 02/11/2020.

______. Sobre escolas, unidades de polícia pacificadora (UPPs) e desigualdades de oportunidades educacionais na cidade do Rio de Janeiro. Dialogia, São Paulo, n. 32, p. 278-291, maio/ago. 2019b. Disponível em: . Acesso em: 24/11/2020.

______. Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) e Escolas: UPPS e aspectos educacionais no Rio de Janeiro – o caso das escolas na grande Tijuca. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2015. Disponível em: . Acesso em: 24/11/2020.

______. Violência escolar: perspectivas contemporâneas. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2014.

SMITH, Peter K. Violence in schools: the response in europe. New York: Routledge, 2002.

ZALUAR, Alba; LEAL, Maria Cristina. Violência extra e intramuros. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 16, n. 45, p. 145-164, fev./2001. Disponível em: . Acesso em: 24/11/2020.

YIN, Robert K. Pesquisa qualitativa do início ao fim. Tradução de Daniela Bueno. Porto Alegre: Penso, 2016.
Publicado
23-12-2020
Como Citar
Segal, R. (2020). INCIVILIDADES, CONFLITOS E VIOLÊNCIAS ESCOLARES: elucidando algumas categorias para a mediação de conflitos na escola. Educação Sem Distância - Revista Eletrônica Da Faculdade Unyleya, 1(2). Recuperado de https://educacaosemdistancia.unyleya.edu.br/esd/article/view/62
Seção
Artigos de pesquisa